Pronaf Pesca

A profissão de pescador profissão é uma das mais antigas do mundo, e a pesca é a base econômica de muitas cidades brasileiras, principalmente das litorâneas.

No Plano Safra 2014/2015 (1º de julho de 2014 a 30 de junho de 2015), os pescadores artesanais acessaram 134 milhões de reais para comprar equipamentos de pesca e aquicultura, por meio das linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que é da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAFDA).

Além do crédito, os pescadores receberam assistência técnica de instituições de Assistência Técnica e Extensão Rural contratadas pela Secretaria Especial. A Assistência Técnica orienta os pescadores nas atividades de pescas e aquicultura e no gerenciamento dos negócios. Não basta saber pescar, é preciso também agregar valor ao produto e preservar a biodiversidade para o empreendimento ter futuro”.

Pescadores Catarinenses

Para o extensionista da EPAGRI, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, José Eduardo Calcinoni, o Pronaf é uma ferramenta de trabalho para a extensão rural. “Através da linha de crédito, conseguimos fazer projetos para melhorar a vida do pescador. A proposta precisa ter viabilidade técnica, ou seja, aquilo que ele estiver financiando tem que estar comprovado que vai melhorar a sua vida, aumentar a sua renda, além de mostrar que o pescador terá condições de pagar as prestações do crédito. Para nós, o barco do pescador é uma empresa e temos que ensiná-lo a controlar o custo de produção e trabalhar toda a cadeia produtiva”, explica.

Além disso, Calcinoni destaca que o pescador precisa estar com a documentação em dia, tanto do barco como a suas profissionais, que comprovam a atividade pesqueira, para ter acesso ao Pronaf. “As linhas de crédito com as quais a extensão trabalha são de apoio à infraestrutura, que são investidas no barco e equipamentos de pesca”, fala.

Conforme o extensionista, em Santa Catarina, a cada Pronaf aprovado para atividade pesqueira são mantidos, no mínimo, três empregos, um direto e dois indiretos. “Considerando todo setor pesqueiro, como estaleiro artesanal, posto de gasolina e locais de beneficiamento, cada Pronaf mantém de forma direta ou indireta de três a quatro vagas de emprego no estado” calcula.

Família de pescadores

Filho de pescadores, Moízes de Souza, 60, do município catarinense de Balneário Barra do Sul, já acessou duas vezes o Pronaf para investir no seu negócio.

O último crédito contratado foi há cinco anos, no valor de R$ 15 mil. Ele utilizou o recurso para comprar um barco de nove metros, por três de largura. “O empréstimo foi uma beleza, pude comprar uma embarcação e redes novas, o que aumentou a minha renda em 50%. Sem barco eu trabalhava na embarcação de outros parceiros”, conta. Ele acrescenta que um dos seus três filhos também seguiu o legado da família, acessou o Pronaf e comprou o próprio barco.

Seu Moízes quita o financiamento do Pronaf em 2018. As prestações no valor de R$ 2.400,00 são pagas uma vez ao ano.

Como acessar o Pronaf

Os pescadores interessados em acessar as linhas de crédito oferecidas pelo Pronaf devem procurar orientação na Emater da sua região.

Flávia Dias/Ascom

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário da Casa Civil

Fonte: http://www.mda.gov.br

Contato:

(48) 98485-8073 (Tim – WhatsApp)

(48) 98402-4024 (Oi – WhatsApp)

(48) 99658-5076 (Tim)

cursos@vidamaritima.com.br

× Como posso te ajudar?